Marketing de conteúdo, Comunicação

No Marketing de Conteúdo tudo começa pela pauta. Esse termo, para quem advém do jornalismo, já é um velho conhecido. Em linhas gerais, a pauta diz respeito às informações mais relevantes para construção de um texto. Podemos dizer também que ela é o fio condutor do conteúdo que você quer publicar. É especialmente importante desenvolver uma pauta detalhada se você não é o redator do conteúdo que vai criar.

Uma boa pauta deve conter o título do texto, uma descrição breve sobre o objetivo do conteúdo, ou seja, quais dúvidas da sua persona serão solucionadas, qual palavra-chave será utilizada e, principalmente, para quem o texto será direcionado.

Vale lembrar que conteúdo é rei no marketing digital e sem uma estratégia bem definida, sem um bom planejamento, você é apenas mais um num emaranhado de pessoas que buscam por espaço na internet.  Por isso, abaixo estão alguns direcionamentos sobre como e onde você pode buscar informações para construir pautas que vão de fato alavancar sua audiência.

Onde buscar ideias para suas pautas

Um dos desafios na construção de boas pautas é saber o que sua persona busca saber e para isso, há uma série de ações que podem ser realizadas para tentar descobrir quais são as maiores dores do público para quem você escreve.

  1. Fóruns: diversos sites possuem fóruns de discussão. Pesquise quais são as dúvidas mais frequentes dos internautas em sites que têm relação com seu negócio. Se seu negócio é uma agência de turismo, por exemplo, veja o que dizem os participantes do fórum do site Trip Advisor, referência quando o assunto é viagem. Com certeza você vai ter insights poderosos.
  2. Comentários em sites de notícias relevantes: portais de conteúdo jornalístico sempre têm espaço para comentários dos internautas. Procure as notícias que têm a ver com seu segmento, e avalie o que os internautas estão comentando, o que mais eles buscam saber a respeito do assunto publicado.
  3. Conteúdos mais lidos dos seus concorrentes. Quando você pesquisa sobre o assunto que quer escrever, quais sites dos seus concorrentes estão melhores ranqueados, ou seja, quais aparecem primeiro na busca orgânica? Esses conteúdos que estão no topo da pesquisa não estão lá à toa. Muitos usuários já clicaram para solucionar suas dúvidas, então se inspire no que está descrito ali, mas não copie nada, ok? Os buscadores possuem dispositivos capazes de identificar qual é o conteúdo original e seu site pode ser punido se tiver usando a tática do ctrl c + ctrl v.
  4. Mercado Livre. As dúvidas de quem gostaria de adquirir um produto são ótimas fontes para o desenvolvimento de pautas. Se você tem um e-commerce que vende produtos para crianças e gostaria de fazer um conteúdo sobre cadeirinhas de carro, por exemplo, pesquise este tipo de produto no Mercado Livre ou sites semelhantes e veja quais as dúvidas mais frequentes dos possíveis compradores.
  5. Google. O próprio Google traz ótimas sugestões sobre quais aspectos você deve abordar em seus textos por meio das buscas relacionadas. Suponhamos que você é um escritório de advocacia especializado em Direito Trabalhista e quer escrever artigos relevantes para sua persona. Quando você procura pela palavra-chave “direito trabalhista” no Google o que mais ele te sugere? Na minha pesquisa apareceu o seguinte: “direito trabalhista férias”, “direito trabalhista livro”, “direito trabalhista e previdenciário”, entre outras buscas relacionados ao termo principal. Vá à fundo no interesse do seu público e encontre o que de fato ele quer saber.
  6. Google Trends. Se você quer se aprofundar ainda mais na pesquisa sobre o que sua persona procura, o Google Trends é a ferramenta essencial. Com ela é possível, de forma gratuita, acompanhar o nível de buscas na internet de uma palavra-chave específica ou um termo geral. Dá para fazer comparações entre termos, saber a evolução das pesquisas ao longo do tempo, buscar em quais regiões do País as buscas por determinado termo são mais frequentes, entre outras ações muito efetivas para sua estratégia de conteúdo. Enfim, o Trends mostra as palavras-chave mais pesquisadas e, com base nisso, você pode ter diferentes ideias para novos conteúdos.
  7. Google Analytics. Se você já tem um site ou um blog não deixe de monitorar o resultado de pesquisas em seu próprio site. Para isso, utilize o Analytics. Ele é um excelente termômetro para medir quais conteúdos de fato estão engajando sua audiência. A partir de um conteúdo bem ranqueado você pode extrair variações dele para novas pautas.

Gostou dessas dicas? Agora é hora de colocar em prática para buscar resultados mais relevantes para negócio! E, não se esqueça que, se precisar de uma ajudinha em sua estratégia de marketing de conteúdo, conte conosco.

 

Post de Luciana Barbosa


Share this article