Comunicação, colaboração, autoconhecimento, responsabilidade, criatividade, resolução de problemas, pensamento crítico e curiosidade são consideradas as principais competências do século 21. Essas habilidades também estão diretamente ligadas à estruturação do projeto de vida dos estudantes.

Segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, este ano, 35% das habilidades mais demandadas para a maioria das ocupações devem mudar. O dado chamou a atenção de muitas escolas, que já reconhecem a necessidade e a importância de desenvolver essas habilidades para que os jovens tenham condições de enfrentar o mercado de trabalho de forma mais assertiva. Mas como fazer isso?

Para a coordenadora da Educação Infantil e do 1° Ano do Ensino Fundamental Anos Iniciais do Colégio Marista Asa Sul (Brasília-DF), Patrícia Deoti, desenvolver projetos que permitam vivenciar, na prática, diferentes experiências que auxiliem na escolha da profissão, no aprofundamento interdisciplinar e no desenvolvimento das habilidades do século 21 é essencial para ter sucesso não só no meio profissional, mas na vida de forma geral.

É importante que o aluno saiba desenvolver pensamento crítico, solucionar problemas, se comunicar, que seja colaborativo, criativo e inovador. Mas como desenvolver tantas habilidades de uma só vez? E como inserir esse desenvolvimento no contexto de sala de aula? Segundo estudo do National Research Council, as competências do século 21 podem ser divididas em três grupos: cognitivo, intrapessoal e interpessoal.

O primeiro envolve capacidades já conhecidas pelos educadores e que os métodos de ensino tradicionais já dão conta, como o poder de interpretação, alfabetização, habilidade de escutar, entre outros. O segundo diz respeito à forma como cada indivíduo trabalha com as próprias emoções. Autodidatismo, perseverança e flexibilidade são algumas das competências exigidas para ter esse domínio. E o último, mas não menos importante, compreende características que ajudam a lidar com outras pessoas. Saber passar informações, se comunicar e ter empatia são algumas das competências que o aluno tem quando o desenvolve bem.

Compreender o entrelaçamento dos três grupos, criando ambientes propícios para desenvolver cada uma das competências, tanto dentro quanto fora da sala de aula, é fundamental para obter bons resultados. Ao executar essa tarefa, a escola consegue, de fato, atingir a formação humana e preparar os estudantes para a vida.

Sobre a Rede Marista de Colégios

O Colégio Marista Asa Sul integra a Rede Marista de Colégios (RMC), presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica alinhada ao mercado. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.