O conselheiro da SPVS André Ferreti apresentou o ConBio durante a COP23, na Alemanha, nesta quarta-feira (14). Foto: divulgação

Representantes de cerca de 200 países estão reunidos na cidade de Bonn, na Alemanha, para discutir formas de atingir os objetivos estabelecidos no Acordo de Paris. A 23ª sessão da Conferência das Partes (COP23) acontece entre os dias 6 e 17 de novembro, organizada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC). Ao longo dos 12 dias de conferência, projetos inovadores de todo o mundo serão apresentados. Entre as 200 iniciativas escolhidas para a conferência, o programa paranaense Condomínio da Biodiversidade (ConBio) é um dos representantes do Brasil e foi apresentado nesta terça-feira (14).

Com 17 anos de existência, o Condomínio da Biodiversidade nasceu como uma iniciativa de ambientalistas e organizações do terceiro setor para tratar da conservação da biodiversidade em ambientes urbanos e periurbanos na Região Metropolitana de Curitiba. Ao longo desse tempo, o programa visitou mais de 1.500 propriedades públicas e particulares com vegetação nativa, orientando os proprietários sobre o manejo conservacionista e apoiando a criação de Unidades de Conservação. Em Curitiba, foram 18 Reservas Particulares do Patrimônio Natural Municipal (RPPNM) e oito Unidades de Conservação municipais apoiadas. Além disso, o ConBio trabalha em parceria com o poder público e organizações do terceiro setor em políticas para conservação da natureza, como o Pagamento por Serviços Ambientais.

A técnica da SPVS Betina Bruel conta que um dos objetivos do ConBio é engajar todos os setores da sociedade na proteção das áreas naturais. “Essas áreas são fundamentais para diminuir a vulnerabilidade e aumentar a resiliência das cidades frente às mudanças climáticas”, afirma Bruel. “A segurança climática e hídrica está diretamente relacionada com a presença de áreas naturais bem conservadas”. O programa também realiza cursos de formação sobre conservação da natureza para professores da rede pública de ensino. Os 3.400 professores que passaram pelos cursos descobriram novas formas de abordar a conservação durante as aulas, promovendo o conhecimento de dezenas de milhares de alunos.


Share this article