Nós nos constituímos e nos transformamos por meio da relação com o outro. Esse é o conceito filosófico de alteridade, desenvolvido pelo russo Mikhail Bakhtin (1885-1975). Para o professor doutor Ricardo Petracca, do Centro Universitário Internacional Uninter, a alteridade pode ser usada para compreender também a música.

Essa é a premissa de seu livro “Música e Alteridade – Uma abordagem Bakhtiniana” (167 páginas, R$ 49), que será lançado nesse sábado (8), às 15h30, na Livraria da Praça do Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte (MG). O evento de lançamento faz parte da 4ª edição do Festival Musimagem, encontro nacional sobre a música dedicada à imagem (como trilhas sonoras, por exemplo).

O professor explica que o livro é oriundo de sua tese de doutorado. “Ao invés de pensar o sujeito que compõe ou que aprecia uma obra de arte como sendo sozinho consigo mesmo, com seus pensamentos e sua subjetividade, eu busquei entendê-lo como sendo um sujeito sempre em diálogo”, explica.

Para isso, usou os conceitos de Bakhtin, que é amplamente conhecido no meio dos estudos linguísticos, mas seu trabalho como filósofo pode ser aplicado às mais diferentes áreas do conhecimento.

“Não temos conhecimento das coisas pelas coisas em si. Nós as conhecemos pelo diálogo com as pessoas que se relacionaram com aquela coisa. O mesmo acontece com as artes e com a música”, diz Petracca. O livro é, portanto, direcionado a todos aqueles que desejam refletir sobre a importância do outro na criação e apreciação da arte.

Petracca também participa do Festival Musimagem como palestrante no domingo (9), falando sobre o tema “O diálogo musical – do ritual indígena às salas de concerto” às 17h, no Teatro II. O Festival, que vai do dia 6 ao dia 9 de setembro, conta com palestras, mesas de discussão, oficinas e shows, como o da Orquestra Ouro Preto, e tem entrada franca.

A programação completa pode ser conferida no site oficial do evento.

Sobre o autor

Ricardo Petracca é arranjador, compositor e coordenador do curso de Artes Visuais do Centro Universitário Internacional Uninter. Atuou também na educação básica e produziu conteúdos educativos para diferentes mídias.

É coautor dos projetos e implantação da TV Paulo Freire e do Multimeios da Secretaria de Educação do Estado do Paraná. Também foi diretor de mídias e educação da Multirio – Empresa Municipal de Multimeios da Prefeitura do Rio de Janeiro (2010 – 2013).

MÚSICA E ALTERIDADE – Uma abordagem Bakhtiniana, de Ricardo Pretracca. Editora APPRIS (Avenida Manoel Ribas, 2265 – Mercês, Curitiba – Paraná, 41 3156-4731). 167 páginas. R$ 49.

Serviço – Lançamento de livro

Data: 8 de setembro, às 15h30.

Local: Livraria da Praça do Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte (MG).

Endereço: Praça da Liberdade, 450 – Funcionários, Belo Horizonte (MG), 30140-010

Entrada franca.

Site oficial: http://festival.musimagembrasil.com/


Share this article