montanhas_de_aluminio_html

A produção brasileira de alumínio primário fechou 2015 em 772,2 mil/t, é o que informa a Associação Brasileira do Alumínio (ABAL). Em comparação com 2014, a produção recuou 189,8 mil/t (-19,7%).

Dados de exportação dos últimos dez anos, no entanto, indicam que a indústria está internalizando sua produção para atender ao mercado doméstico. Em 2006, as exportações de alumínio primário e suas ligas responderam por 842,1 mil/t. Já, em 2015, o montante foi de 309,1 mil/t.

Sobre a ABAL

Fórum legítimo do setor, desde 1970, a Associação Brasileira do Alumínio defende os interesses das empresas que atuam diretamente ou dependem da indústria do alumínio. A entidade representa o setor junto ao governo e à sociedade, além de participar de fóruns e eventos relacionados aos negócios de seus associados. Mantém, ainda, parceria com federações e outras associações para ampliar o diálogo com toda a cadeia produtiva. Disseminadora de conhecimento, a ABAL responde pela elaboração das normas técnicas para processos e produtos de alumínio, além de contribuir com a capacitação profissional por meio de cursos, palestras e seminários em diversas áreas. É missão da entidade tornar a indústria do alumínio mais sólida, forte e competitiva.


Share this article