O trabalho no terceiro setor é geralmente associado ao voluntariado, sem remuneração. Porém, as organizações da sociedade civil já empregam formalmente cerca de 3 milhões de pessoas no Brasil, o que equivalia a 3% da população ocupada em dezembro de 2015, nos dados mais recentes divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em 2018. A maior parte dessa força de trabalho reside no Sudeste (58,5%), são mulheres (65%) e atuam no setor de saúde (40%).

“Tradicionalmente, no Brasil, o terceiro setor está ligado à filantropia, ao assistencialismo e às questões sociais. Por isso, ainda atrai um público mais feminino, geralmente católico”, explica a coordenadora do curso de Gestão de Organizações do Terceiro Setor do Centro Universitário Internacional Uninter, Denise Erthal.

Em 2015, 66% dos vínculos de empregos formais das organizações da sociedade civil não detinham superior completo e ganhavam em média 3,2 salários mínimos. Segundo a professora, nos próximos anos, a tendência é que cada vez mais pessoas com ensino superior estejam atuando nas organizações.

“Embora essas instituições não visem lucro, elas precisam atingir seus objetivos e necessitam de gestão assim como qualquer outra organização da iniciativa privada. Elas têm receita, recebem doações e precisam gerir recursos, sejam financeiros, materiais ou humanos, o que está motivando a contratação de profissionais qualificados, gestores, captadores de recursos e gerentes de projetos”, diz.

Para aqueles que desejam seguir carreira no terceiro setor, Erthal recomenda buscar qualificação profissional. “Além do interesse por uma causa, social ou ambiental, é preciso se qualificar para a função, compreender o propósito do terceiro setor e o funcionamento das políticas públicas. Com o entendimento ampliado, é possível participar de forma mais efetiva”, pontua.

Sobre o Grupo Uninter

O Grupo Uninter está entre os maiores players do segmento educacional, e é a única instituição de ensino a distância do Brasil recredenciada com nota máxima pelo Ministério da Educação (MEC). Além disso, o centro universitário conquistou o conceito 4 no Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado pelo MEC. O resultado aliado à nota máxima de seu programa de educação a distância (EAD), consolida a Uninter como a melhor instituição EAD no Brasil, à frente dos outros cinco maiores grupos educacionais que atuam na modalidade.

Sediado em Curitiba (PR), já formou mais de 500 mil alunos e, hoje, tem mais de 250 mil alunos ativos nos mais de 200 cursos ofertados entre graduação, pós-graduação, mestrado e extensão, nas modalidades presencial, semipresencial e a distância. Com polos de apoio presencial, estrategicamente localizados em todo o território brasileiro, mantém cinco campi no coração de Curitiba. São 2 mil funcionários trabalhando todos os dias para transformar a educação brasileira em realidade. Para saber mais acesse uninter.com


Share this article